O jardim é um detalhe aprimorado em muitas casas, que souberam conciliar o natural com o criado pelo homem. Em muitas casas,

Jardim

Jardim

apartamentos e instalações de moradia preferem a doce companhia da natureza e adotam o jardim como parte da casa. Essa não é apenas uma escolha das pessoas que se dão bem com plantas, mesmo os que nunca adquiriram qualquer afeição pelo verde, tem se mostrado interessado por decoração em jardim.

 

As escolhas parecem simples, mas bem diferente de uma harmonia cromática que estamos acostumados com a pintura da casa, o jardim solicita uma atenção profissional, pois todos os seus artigos decorativos são formas vivas. O que torna seu cuidado bem mais parecido com um fraternal zelo do que apenas o sentimento que temos por outra parte da casa.

 

O jardim, para ser considerado jardim, não precisa ser exatamente igual a muitos revelados no cinema, que selecionam as mais variadas espécies de plantas. Mas seu jardim pode ser o seu gosto, adaptado ao tamanho do espaço que deseja reservar. Mesmo sendo pequeno, se bem cuidado, pode suavizar qualquer ambiente.

O paisagismo e a jardinagem são exemplos claros do quão é importante para nós integrarmos à natureza.

 

Cada dia mais, como resposta à invasão do homem, a natureza parece estar sempre inclusa na nossa vida.

 

O que antes era para ser uma idéia apenas para uma parte do quintal, e olhe lá.

Hoje se torna uma complementação da casa, como se a natureza fosse tão necessário quanto os cômodos.

A natureza por si só exige cuidado e atenção. Se for optar por sua companhia é preciso saber seus costumes de convivência. Por exemplo: água, luz, temperatura, adubação são dicas cruciais para manter um bom relacionamento com a natureza.

 

Somos todos já naturalmente preparados para a coexistência com a natureza e suas dádivas, tais que bem estruturada nos fornece uma bela paisagem.

Natureza

Natureza

Quer construir um jardim?? E não sabe como??

Algumas dicas do paisagista Benedito Abbud

Em primeiro lugar, é importante saber que luvas, diferentes tipos de ferramentas, vasos, adubos, mudas e sementes não vão adiantar nada se não houver planejamento.

Você corre o risco de, anos depois, quando a sua árvore estiver robusta e maravilhosa, sofrer com folhas nas calhas, ter sua vista mais bela escondida pelo excesso de vegetação ou sombrear áreas da casa que necessitam de luz.

Não é preciso formação em botânica, mas é importante gostar da proximidade com a natureza e ter muita força de vontade.

Definir o uso do jardim em função dos gostos e costumes dos moradores é um bom começo. Por exemplo, tomar sol, ler e refrescar-se ao ar livre requer equipamentos como espreguiçadeiras, ducha, cadeiras confortáveis, iluminação adequada, churrasqueira e forno de pizza.

A dica é usar um papel e lápis para distribuir esses elementos no ambiente e contorná-los com vegetação. Optar por cercas vivas para esconder muros e construções ao redor da casa é uma boa pedida, gera sensação de verde e aconchego natural. Camélias (flores rosas ou brancas), murtas e ligustros; trepadeiras (como a unha-de-gato) e treliças que sirvam de suporte a espécies que têm flores, como tumbérgias, ipoméias e jasmins, são as mais usadas.

Camélia e Jasmin: cores que encantam.

As frutíferas (pitangas, jabuticabas e romãs) e as floríferas aromáticas (magnólia e jasmim manga) são ideais para vasos ao redor de ambientes de estar. Elas atraem pássaros e perfumam.

Caso o espaço dedicado ao jardim seja amplo, é possível planejar um percurso agradável ao longo dos caminhos. Despertar as sensações humanas jogando com espaços fechados e sombreados, intercalados por outros amplos e ensolarados, causa surpresa e bem estar. Um túnel de bambus pode levar à descoberta de um gramado para jogos amplo e arejado, por exemplo.

No paisagismo, a beleza é percebida por meio dos sentidos: visão (formas, flores e cores), paladar (frutas, chás e temperos), audição (canto dos pássaros atraídos pelas frutíferas, murmúrio das águas), olfato (aroma das flores e folhas) e tato (texturas). Para aproveitar todo o potencial do verde na escolha da vegetação, é bacana seguir uma ordem:

1° – Volumes e formas: árvores, palmeiras, arbustos, cercas vivas, herbáceas e forrações;

2° – Cores e texturas: flores, diferentes verdes das folhas, caules e raízes aéreas;

3° – Aromas: flores e folhas;

4° – Sabores: frutas, chás e temperos.

Uma vez definida a vegetação, é hora de buscar com viveiristas, vendedores de mudas do Ceasa ou técnicos em vegetação a solução viável. Sonhe com o projeto do jardim ideal e procure um especialista para tornar esse sonho realidade.