O Aeroporto de Congonhas foi inaugurado para ser a solução de um problema: após uma enchente no Rio Tietê que alagou por vários meses o aeroporto do Campo de Marte, foi planejada a construção de um novo aeroporto, na cidade de São Paulo. Anos depois, mais precisamente na década de 80, congonhas, torna se o aeroporto mais movimentado do país, e o seu redor acompanham esse crescimento. Tanto é, que cerca de 29 obstáculos atrapalham sua operação.

Grooving

Mas, o que não está certo no aeroporto de Congonhas não é o aeroporto, mas sim o que deixaram crescer em torno dele. Depois do acidente com o avião da TAM, a Infraero divulgou que estuda construir no final da pista, um atoleiro, e uma rede de aço para segurar as aeronaves que não conseguem parar.

Esse atoleiro funcionara da seguinte forma – caso o avião tenha problemas na hora do pouso, essa medida fará com que a aeronave atole, e se ainda assim, ela não parar totalmente, haverá uma rede para ajudar a parar. Outro procedimento para a segurança do aeroporto é o grooving na pista, que são aquelas ranhuras que auxilia não só a escoar a água, mas também para dar adesão e atrito, e é o único modo eficaz para se evitar a aquaplanagem em estado de pousos em pistas molhadas.

Grooving

A Infraero promete começar a fazer essas correções na pista auxiliar, o grooving tem 6 milímetros de profundidade,será feita de madrugada, com o aeroporto fechado, as obras devem durar quatro meses e custarão 11 milhões de reais.

Imagem: holemaker

Anúncios