Quando nos indagamos sobre qual será o lugar ideal para se viver neste século XXI, surgem algumas questões.

De um lado, as novas tecnologias que facilitam as nossas vidas e nos colocam facilmente em contato com o mundo – e com todos no mundo. Utilizamos a mobilidade do sistema “wireless”, as videoconferências, os filmes digitais e as informações que permitem o lazer e o trabalho em qualquer ambiente (no ar-condicionado dos escritórios fechados ou sob as copas das árvores, ao ar livre).

Por outro lado, ainda almejamos o conforto e o equilíbrio tanto do corpo quanto da mente, tanto da razão quanto das emoções e dos sentidos; e, cada vez mais, almejamos o contato direto e constante com a natureza. A busca da “equação ideal” entre o trabalho e o descanso, entre os compromissos de negócios e o contato com a família e os amigos é uma constante na vida do homem atual. O objetivo é fugir do estressante caos urbano e alcançar na prática o tão falado conceito da qualidade de vida.

É por isso que, é importante desenvolver projetos paisagísticos que valorizam o lado mais sensitivo dos seres humanos, mas sem deixar de utilizar a tecnologia adquirida, o nosso lado racional. A idéia é respeitar e enaltecer a natureza no nosso cotidiano, no meio urbano, no lazer e no ambiente de trabalho para atingir um equilíbrio em nossas vidas.

Vejam o exemplo do projeto paisagístico desta residência no Guarujá.

Cores, formas e texturas da vegetação tropical nativa valorizam a preservação do ecossistema local. Foram introduzidas, também, algumas plantas que atraem pássaros e, assim, evocam a audição e a visão, estimulando os sentidos humanos.

O paisagismo que valoriza o uso da vegetação local contribui para conservação ambiental. O “green building”, por sua vez, passa pela utilização de energias alternativas, reciclagem de materiais e reuso da água para promover a sustentabilidade. Atento a esses conceitos, nosso escritório tem desenvolvido em todo Brasil projetos que buscam soluções compatíveis com nossa cultura, sociedade, orçamento e realidade.

Tambémé importante materiais que desempenham função ecológica, tais como: piso drenante com fibra de coco para minimizar enchentes; piso anti-impacto feito com pneu triturado para a prática de esportes; e um sistema composto por placas de plástico reciclado para irrigação natural do jardim por capilaridade.

Essas são técnicas que, além de desempenharem funções específicas, contribuem ecologicamente para a sustentabilidade do paisagismo em novos projetos e novos empreendimentos.

Mais informações: www.milassentos.com.br

About these ads